contacto

contacto
escreva-nos ao email:
siga-nos nas redes:

Hipácia – Associação dos Investigadores Italianos em Portugal

Champalimaud Centre for the Unknown
Av. Brasília, Doca de Pedrouços
1400-038 Lisboa, Portugal
NIPC: 515260576

JUNTE-SE:

Board

Davide Accardi

Presidente

Davide Accardi graduou-se cum laude na Universidade de Palermo em Ciências Ambientais Marinhas em 2005.
Após três anos como investigador e professor assistente no departamento de zoologia, mudou-se para a Alemanha para iniciar o doutoramento no Instituto Max Planck de Biologia Celular e Genética de Dresden, onde estudou a auto-organização e a dinâmica das moléculas intracelulares.
O projeto biofísico, realizado sob a supervisão da Dr. Iva Tolic, foi concluído com sucesso em 2012, quando o Dr. Accardi concluiu o seu doutorado com distinção.
Após a experiência do doutoramento, decidiu aprofundar os seus conhecimentos na área da física e, em particular, na ótica, juntando-se à plataforma de microscopia do Instituto Max Planck como investigador pós-doutoral especializado em imagem e análise de imagem. Durante esta experiência, contribuiu para o desenvolvimento da tecnologia de microscopia de luz, que foi reconhecida como “método do ano” pela revista Nature Methods em 2014.
Desde agosto de 2017, o Dr. Accardi é diretor do departamento de microscopia do Instituto Champalimaud em Lisboa onde, juntamente com a sua equipa, acompanha e dá apoio a cerca de 200 projetos científicos nas áreas de neurociência e investigação do cancro.

Andrea Zille

Vice-presidente

Andrea Zille formou-se em Ciências Ambientais com especialização em Bioquímica pela Universidade de Veneza (Itália) em 2000. Mais tarde, em 2005, concluiu o doutoramento em Engenharia Química Têxtil na Universidade do Minho (Portugal). Actualmente lidera a linha de investigação “Bio- e nanotecnologia aplicada aos materiais” como investigador sénior no Centro de Ciência e Tecnologia Têxtil (2C2T) da Universidade do Minho, consolidando a sua linha de investigação sobre as propriedades antimicrobianas e antivegetativas dos materiais poliméricos revestidos por enzimas e nano-revestimentos. Entre 2017 e 2019 foi Autor Principal do Painel Intergovernamental sobre Alterações Climáticas (IPCC) na Task Force sobre Inventários Nacionais de Gases com Efeito de Estufa para o projeto das emissões de gases fluorados com efeito de estufa no refinamento do IPCC de 2019.

Maria Alessandra Bilotta

vogal

Maria Alessandra Bilotta é historiadora de arte, medievalista, investigadora na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade NOVA de Lisboa, e investigadora integrada no Instituto de Estudos Medievais (IEM) da mesma universidade. Atualmente, a investigação dela foca-se nos manuscritos jurídicos medievais iluminados do Sul de França, nos manuscritos jurídicos medievais iluminados preservados em Portugal e na circulação de manuscritos jurídicos estrangeiros (particularmente do Sul de França) na Península Ibérica. Os interesses de investigação dela incluem também o estudo de manuscritos litúrgicos medievais, a análise de transferências artísticas e os aspetos arqueológicos dos manuscritos medievais. A sua tese de doutoramento centrou-se na produção de manuscritos iluminados para uso do papado durante a Idade Média (séculos VI-XIII) e foi publicada pela Biblioteca do Vaticano em 2011. Ela foi curadora científica das seguintes exposições: “Le parement d’autel des Cordeliers de Toulouse: Anatomie d’un chef d’oeuvre du XIVe siècle” (Toulouse, Musée Paul Dupuy, 13 de março – 13 de junho de 2012); “A Circulação do Direito na Europa Medieval: Manuscritos Jurídicos Europeus em Bibliotecas portuguesas” (Lisboa, Biblioteca Nacional de Portugal, 26 de fevereiro – 31 de maio de 2016). Entre os vários workshops e conferências internacionais que organizou e coordenou, destacam-se: “O estudo dos manuscritos iluminados e dos artefactos na Arqueologia da Idade Média: metodologias em comparação” (Lisboa, 13 de fevereiro de 2015); “Circulation juridiques et pratiques artistiques, Intelectuais et culturelles en Europe au Moyen Âge (XIIIe – XVe siècle) – Medieval Europe in Motion 3” (Lisboa, FCSH-UNL – Biblioteca Nacional de Portugal, 25-27 de fevereiro de 2016).

Mónica Di Berardino

secretária da assembleia geral

Mónica Di Berardino obteve a Licenciatura em Engenharia do Ambiente na Universidade Lusófona. Depois disso, foi investigadora no Instituto Nacional de Engenharia, Tecnologia e Inovação (INETI, atualmente LNEG) sobre tratamento dos efluentes industrais de fábricas. Foi ainda investigadora no Instituto de Engenharia Mecânica (IDMEC) do Instituto Superior Técnico, pesquisando o tratamento de resíduos biodegradáveis. Atualmente desenvolve funções de analista financeira na Siemens.

Giovanni Saponaro

presidente da assembleia geral

Giovanni Saponaro obteve o doutoramento em engenharia eletrotécnica e dos computadores no Instituto Superior Técnico, Universidade de Lisboa em 2019. Antes, conseguiu a licenciatura em engenharia informática e o mestrado (com distinção) em engenharia informática–sistemas de inteligência artificial na Sapienza Università di Roma, respetivamente em 2005 e em 2009. Entre os seus interesses científicos há as técnicas para compreensão automática de cenas visuais, e algoritmos de decisão para robôs, para suportar interação homem–robô. Participou no projeto de investigação internacional POETICON++ juntamente com linguistas, peritos em visão computacional, neurocientistas e investigadores em robótica. Publicou artigos científicos sobre sistemas cognitivos, robótica do desenvolvimento, perceção visual de objetos e de gestos humanos para reconhecimento de ações. Atualmente é engenheiro de software de visão computacional na Eyeware, onde desenvolve algoritmos para o seguimento do olhar.

Davide Masoero

fiscal único

Davide Masoero obteve o grau de Doutor em Física-Matemática em 2010 pela Scuola Internazionale Superiore di Studi Avanzati (SISSA, Trieste, Itália). Desde 2010 Davide desenvolve o seu trabalho cientifico na Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, começou como bolseiro de pós-doutoramento no Grupo de Física Matemática da Universidade de Lisboa, e atualmente é Investigador FCT. Davide é um dos maiores peritos na análise assintótica das singularidades irregulares, como tal é o Investigador Responsavel do Projeto FCT “Conexões irregulares sobre curvas algébricas e teoria quântica dos campo”.